terça-feira, 25 de outubro de 2011

A seguidora de Ártemis

        

      Era uma vez, na Grécia antiga, uma jovem muito bonita chamada Alana, que era devota a deusa Ártemis, deusa da caça. Por ser uma seguidora da deusa, Alana prometeu aos deuses que nunca se envolveria com nenhum homem, nem se apaixonaria, assim como Ártemis.
       Em um belo dia, enquanto estava caçando, Alana ouviu uma música vindo por entre as árvores. Foi seguindo o som até chegar em uma clareira. Bem no centro havia uma grande pedra e em cima desta estava o homem mais bonito que Alana já vira em toda vida. Ele estava sentado enquanto tocava flauta e Alana percebeu que várias ninfas estavam dançando ali perto ao belo som da música do jovem. Seguindo os ensinamentos da deusa Ártemis, Alana foi embora e resolveu esquecer o rapaz da clareira.
       Na manhã seguinte Alana voltou à floresta. Deu a si mesma a desculpa de que deveria caçar na área perto da clareira, apenas para variar um pouco. Assim que chegou perto da clareira ela começou a ouvir o som da flauta e um sorriso surgiu em seu rosto. Em que ela estava pensando?! Não podia ficar pensando nele...estava fora de seus princípios! Mas ela não conseguiu se conter e foi novamente até a clareira onde estava o rapaz.
       Lá estava ele, cercado por ninfas e sátiros que ficavam dançando e rodopiando. Seus olhos eram de um verde que pareciam com as árvores à sua volta e os cabelos eram negros e cacheados. Alana estava ali, encostada em uma árvore quando de repente o jovem olha diretamente para ela e sorri. Alana fica atordoada, tremula e sem conseguir respirar direito. Ele a viu!!
       Ele desceu da pedra e foi em sua direção. Alana queria correr, mas seus pés pareciam que criaram raízes ali. Ele chegou bem perto dela, passou a mão em seus cabelos, olhou no fundo de seus olhos e disse:
- Finalmente te encontrei. – disse ele, com um imenso sorriso. – Me chamo Erasmo e sei que se chamas Alana, o meu grande amor. Também sei que você é uma grande seguidora de Ártemis.
       Ao dizer aquilo, o sorriso de Erasmo sumiu um pouco. Alana não sabia o que fazer. Acabara de encontrar o amor de sua vida, mas a sua devoção a deusa Ártemis a proibia de amá-lo.
De repente, uma luz muito forte descendo do céu apareceu no meio da clareira e então uma mulher muito bonita estava ali, ao lado da grande pedra. Ao seu lado estava um cervo e ela carregava um arco nas costas. Alana logo percebeu que era a própria Ártemis que veio falar com ela.
- Esperei por você por toda minha vida, -Erasmo segurou sua mão- posso esperar por mais uns instantes!
Alana foi ao encontro de Ártemis. Quanto mais se aproximava, mais sentia a força e o poder da deusa que parecia brilhar no meio da clareira.
- Alana, minha querida!
-Minha Senhora! – Alana fez uma reverencia – Me desculpe, não consegui seguir seus passos! Acabei por me apaixonar e não sei o que fazer!
- Minha querida, eu mesma já me apaixonei! Não foram minhas melhores experiências, mas deixo essa escolha em suas mãos.
Alana olhou de Ártemis para Erasmo e voltou a olhar para Ártemis.
- Obrigada por tudo, minha senhora, mas sinto que essa é a escolha certa.
Ártemis olhou para Erasmo e disse:
- É...é uma ótima escolha! - E do mesmo jeito que apareceu, Ártemis sumiu.
Alana e Erasmo tiveram um lindo casamento no meio da floresta. As famílias dos noivos estavam alegres e se divertindo muito. Ninfas e sátiros também compareceram no casamento e Alana pode jurar que viu uma bela mulher carregando um arco e com uma áurea meio brilhante andando entre os convidados.

7 comentários:

  1. Bucólico e interessante. Tem potencial, mas acho que podia se deter em uma ambientação mais detalhada, ajuda a criar um clima. Talvez fosse interessante também tentar tornar Ártemis mais alegórica, mais isso também depende da proposta. Bom texto num geral, parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Mitos que nos prende a leitura,aprecio muito os mitos, esta história de amor dentro do panteão dos Deuses, não podia ser diferente. Adorei, e já estou seguindo.
    Felicidades.

    ResponderExcluir
  3. Olá Fenix27,
    Muito obrigada, ficamos felizes de você tenha gostado!
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Muito boa a história, mas um pouco irrealista. Ártemis jamais permitiria uma de suas a deixar por uma homem, quanto mais Ela dizer que é uma boa escolha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cada interpretação é de opnião individual, mas isso não quer dizer que os deuses não possam relembrar suas próprias vivencias e, por um momento, desejar voltar e muda-las. Ártemis já se apaixonou (há mitos sobre esse fato), sendo possível sim, ao sentir um verdadeiro amor deixar a sua seguidora abandona-la...
      Depende só da interpretação, algo que os mitos sempre foram marcados: várias interpretações
      Beijos

      Excluir